"Charcos Temporários: um habitat natural a proteger!"

Projeto


> Progresso do projeto

No decurso do Projeto LIFE Charcos foram executadas até ao momento as seguintes ações:

  • Prospeção de charcos em todo o território do Sítio de Importância Comunitária da Costa Sudoeste, com verificação no terreno de 467 locais potenciais.
  • Identificação e registo de 106 locais com habitat prioritário 3170 no SIC.
  • Avaliação dos principais grupos biológicos associados ao habitat: flora e vegetação, grandes branquiópodes, anfíbios, répteis, micromamíferos, morcegos e aves, de forma qualitativa em 89 charcos e quantitativa em 38 charcos. Análise das características físicas e químicas do solo e da água.
  • Compilação em base de dados da bibliografia existente em publicações científicas, relatórios técnicos, planos de ordenamento, trabalhos académicos, entre outros, num total de 753 referências bibliográficas.
  • Conclusão da Avaliação da situação de referência do estado de conservação dos charcos temporários. Foi elaborado o Relatório Final desta Ação.
  • Elaborado o projeto SIG para leitura em ArcGis, QGis e Google Earth e impresso um conjunto de peças desenhadas com as várias informações geográficas recolhidas ou compiladas relativas aos charcos temporários. Foi concluída a elaboração da cartografia de base e identificação de gestores dos terrenos com charcos e elaborado o Relatório Final desta Ação.
  • Estão em curso os trabalhos de campo, análise laboratorial e tratamento de dados referentes à análise do contexto hidrológico e hidrogeológico dos charcos temporários. Os resultados obtidos até agora permitem identificar dois contextos genéricos destintos do funcionamento hidrológico e hidrogeológico dos charcos. Foi elaborado um Relatório Técnico de Progresso desta ação.
  • Foi criado e desenvolvida a página internet do projeto em português e inglês, e criada uma página no Facebook em www.facebook.com/lifecharcos, que são atualizadas e dinamizadas com regularidade
  • Foi produzida a brochura do projeto em PT (8000 exemplares) e EN (2000 exemplares) que se encontra em distribuição.
  • Foram feitas quatro sessões públicas de apresentação do projeto, a primeira em Odemira em fevereiro de 2014, a segunda em Vila Nova de Milfontes em março de 2015, a terceira em Vila do Bispo em dezembro de 2015 e a quarta em Almograve em abril de 2016.
  • Foi preparada uma “Check-list” de fatores bióticos e abióticos que identificam as ameaças, a pressão humana, a presença de espécies indicadoras ou características do habitat, entre outros, que contribui para a definição do estado de conservação dos charcos temporários mediterrânicos.
  • Foi elaborado o “Manual de Reconhecimento Simplificado” e a “Ficha de Avaliação Simplificada”.
  • Foram recolhidas sementes ou esporos de 92 espécies de plantas para constituição de um banco de germoplasma.
  • Foram construídas duas charcas intermédias num complexo de charcos e criados abrigos de pedra e lenha para promover a conectividade do habitat para anfíbios, mamíferos, répteis e outros grupos biológicos num complexo de charcos.
  • Reabilitação de um charco com erradicação de plantas exóticas, controlo de vegetação arbustiva e reposição do relevo natural com ligeiro afundamento e reposição do horizonte superior orgânico para garantir a salvaguarda das sementes e cistos das espécies dos charcos temporários.
  • Recuperação de um charco com erradicação de plantas exóticas e eliminação de vala de escoamento.
  • Iniciou-se a implementação do pastoreio controlado num complexo de charcos temporários, com um rebanho de 30 ovelhas durante os meses de verão de 2015.
  • Foram feitas comunicações orais e posters sobre o projeto no Congresso Internacional de Zonas Húmidas em Huesca – Espanha, no 10º Seminário sobre Águas Subterrâneas em Évora, no Simpósio Internacional de Charcos Temporários Mediterrânicos em Itália e no 11º encontro europeu da sociedade de especialistas em Zonas Húmidas na Alemanha.
  • Foi disseminada por diversos órgãos de comunicação social a ação desenvolvida pelo Projeto LIFE Charcos, nomeadamente a referência em 8 notícias em órgãos de imprensa nacional escrita, 5 entrevistas ou reportagens televisivas e dezenas de artigos na Internet e na rádio.
  • Foram feitas várias ações de educação ambiental com alunos de escolas na área do SIC. No ano letivo 2014/15 fizeram-se 14 apresentações em sala de aula, 12 saídas de campo para visitas a charcos temporários, abrangendo 393 alunos de 20 turmas em 8 escolas dos vários níveis de ensino, desde o pré-escolar ao secundário, nos concelhos de Vila do Bispo e Odemira.
  • No ano letivo 2015/16 efetuaram-se 53 apresentações em sala de aula e 33 saídas de campo para visitas a charcos temporários, abrangendo um total de 1112 alunos, de 53 turmas em 22 escolas (1 escola do concelho de Sines, 14 do concelho de Odemira e 7 do concelho de Vila do Bispo), do pré-escolar ao secundário.
  • Realizou-se a “Ação de Formação – Conservação de Charcos Temporários” em Odemira em maio de 2015, dirigida a militares da GNR – SEPNA, Vigilantes da Natureza, Técnicos do ICNF, APA e CCDR.

O seu browser está desatualizado!

Atualize o seu browser para ver o site correctamente. Atualizar agora

×